Publicações

Palavra da Verdade

O Corpo (carne), a Alma (emoções) e O Espírito (o Eterno)

Em 14/05/2015 • Publicado em Publicações

 

Gálatas 5.16-17


“Por isso digo: vivam pelo Espírito, e de modo nenhum satisfarão os desejos da carne. Pois a carne deseja o que é contrário ao Espírito; e o Espírito, o que é contrário à carne. Eles estão em conflito um com o outro, de modo que vocês não fazem o que desejam.”


Logo de início nos parece claro que a carne é a parte visível da coisa. Aquilo que é tocável, tangível . Porém a carne é viva. Ela sente. Há uma conexão “indesligável” entre os sentimentos e a carne. Há sentimentos que, de tão fortes, podem fazer doer o corpo.


A esses sentimentos da carne poderíamos chamar de emoções. (Teoria de William James e Carl Lange) .


Quando as emoções dominam, a carne prevalece. E qual é o problema disso ?
A resposta nos parece ser a seguinte: É que , quando atendemos aos desejos da carne, não conseguiremos atender a vontade de Deus e de Seu Espírito que é Santo.


Se a pretensão é viver conforme a vontade de Deus , não será possível fazê-lo vivendo segundo os desejos carnais . A vida segundo os padrões da vontade de Deus acontecerá pelas convicções e não conforme as emoções.


A vontade, ou a capacidade de controlar os impulsos carnais, reside no Espírito. Somente quando o Espírito de Deus controla o homem manifestará Suas intenções e poderemos viver de acordo com a vontade de Deus.


Vale lembrar que o homem (ser humano), é homem por inteiro não sendo possível a divisão mecânica entre o corpo, a alma e Espírito.


Quando o corpo morre, mata a alma. Quando o Espírito é o prejudicado, mata a alma e o corpo. Porém mesmo com a morte do corpo e da alma o Espírito continua a viver pois é imortal.


Quando o corpo é atendido em suas vontades e desejos inicialmente cria uma sensação de bem estar pois agrada a alma, contudo essa sensação tende a ser de pouca duração.


O fruto da carne por fim se revelará: morte. Já o fruto do espírito é vida e, mesmo não agradando a alma instantaneamente, por fim seu fruto também se revelará: vida.


Aqui acontece uma espécie de divisor de águas. A carne grita pelo agora e o Espírito pela eternidade. O hoje entra em confronto direto com o amanhã. O agora com o depois. O já com o que ainda virá.


Se as emoções ditam a vida, a alegria será passageira. Alguns, movidos por fortes emoções, pulam as fases de flerte, namoro e noivado e querem desfrutar dos benefícios ou alegrias do casamento sem disciplina e sem compromisso.


A verdadeira alegria que permanece é aquela gerada na carne através da unidade das emoções que são controladas pelo Espírito.

 

Pr. Angelo Marcony

Escreva um comentário